CBEPJUR

Como se destacar no mercado jurídico: 5 dicas infalíveis

As dicas que vamos dar aqui serão um complemento para você se destacar no mercado jurídico. Seja com cursos de curta duração, especialização ou pós-graduação em Direito.

O mercado de Direito é altamente competitivo no Brasil, mesmo existindo várias frentes de atuação no campo jurídico. Não existem fórmulas mágicas. O que impulsiona qualquer profissional é, primeiramente, gostar do que faz. É trabalhar com brilho nos olhos e agir sempre com vontade e determinação.

Vemos muitas movimentações no mercado jurídico. Alguns advogados formados e que já são especializados em determinado ramo do Direito buscam se atualizar para abrir novas frentes de trabalho e se aprofundar na área que escolheram.

Outros ainda querem se tornar especialistas em determinado segmento e procuram uma pós-graduação. Estes últimos ainda estão construindo sua carreira jurídica. Para todos esses desejos dos profissionais, há saídas para se destacar no mercado jurídico. Basta querer e planejar o futuro seguindo nossas dicas.

Como se destacar no mercado jurídico: 5 dicas infalíveis

Como se destacar no mercado jurídico: 5 dicas infalíveis

1. Estude o mercado na hora de buscar um ramo de atuação para se especializar

A especialização é importante porque o profissional pode se aprofundar em determinado assunto que, às vezes, viu de passagem na graduação.

Antes de escolher em qual área você vai se aperfeiçoar, procure conhecer quais que apresentam mais demanda na região onde pretende atuar. O mais importante é ter familiaridade, identificar-se com o curso.

Quando falamos em mercado de trabalho, estamos usando o conceito que reúne empresas que oferecem vagas de emprego e os profissionais que buscam por tais oportunidades. Portanto, é muito importante estudar o mercado e saber onde estão os seus futuros clientes e a concorrência.

Quanto aos clientes, é fundamental que você saiba quem são, quais são suas necessidades e onde eles podem ser encontrados.

2. Pratique a empatia

Atenção, afeição, simpatia, combinação, entre outras definições são dadas à empatia. Atualmente, o termo ganhou uma forma melhor de ser explicada: é colocar-se no lugar do outro, buscando entender seus sentimentos e pensamentos.

Praticar a empatia significa, então, aceitar as diferenças do outro e evitar conflitos. No ambiente profissional isso é prioridade. Mas, como praticar a empatia?

  • Procure se conhecer antes: veja quais são seus pontos fracos e fortes;
  • Sempre esteja interessado em ouvir alguém que precisa desabafar. Diga palavras que possam encorajar a pessoa a encontrar solução para o problema ou a vencer a fase pela qual está passando;
  • Evite criticar e julgar seu interlocutor. Entenda, primeiramente, qual o motivo da pessoa agir de determinada forma.

3. Faça networking com profissionais do mercado jurídico

Você já parou para pensar que ótima rede de relacionamento pode existir nos cursos de especialização? Se você já voltou pras salas de aula (presenciais ou virtuais) a fim de se aperfeiçoar profissionalmente, não perca a oportunidade de reforçar seu networking. É mais fácil do que você imagina.

Participe sempre de palestras, seminários, eventos, grupos de estudo oferecidos por instituições sérias e também por outras organizações. Procure conhecer as pessoas que também estão fazendo isso.

Procure conhecer os professores de Direito e seu perfil acadêmico e profissional. Normalmente, eles já atuam em grandes escritórios, empresas ou órgãos públicos. Certamente, eles lembrarão de você quando surgir algum negócio ou vaga que tenha compatibilidade com o seu estilo profissional.

Movimente seu networking, dedicando-se às pessoas que mais têm aderência ao seu perfil. Troque experiências, abra espaços para o diálogo. Participe ativamente do LinkedIn, aumente suas conexões e aproveite para saber como pensam os profissionais do mercado jurídico.

4. Estude profundamente a concorrência

Assim como você estuda seus potenciais clientes, faça o mesmo com a concorrência. Identifique quem já atua no mercado jurídico que você anseia participar também.

Verifique o que a concorrência está fazendo de muito positivo. Tente descobrir, também, se há espaços para fazer algo melhor ainda.

Com essas informações em mãos, coloque-as num quadro de avaliação, comparando com o que você pretende fazer. O seu negócio será capaz de competir com os concorrentes? Quais diferenciais você precisa apresentar pra concorrer de igual pra igual?

5. Mantenha-se atualizado, invista na especialização jurídica

Tanto os cursos de curta duração, quanto os de pós-graduação lato sensu contribuem para o advogado ampliar seu conhecimento em uma área específica e se destacar no mercado jurídico.

Para você se manter atualizado e entendendo as mudanças em decorrência da lei, os cursos de curta duração ou de extensão universitária são opções bem interessantes. Eles têm carga horária inferior a 360 horas.

Já os cursos de pós lato sensu se destinam à atuação no mercado profissional, tornando o estudante um especialista. A pós-graduação tem como exigência básica o diploma de curso superior reconhecido pelo MEC. Já os cursos de curta duração não o exigem.

O ensino a distância é a tendência atual e futura. Otimização do tempo, comodidade e baixo investimento são suas principais vantagens, principalmente pra quem trabalha até tarde e/ou tem dificuldade de locomoção para frequentar as atividades em salas de aulas presenciais.

O CBEPJUR (Centro Brasileiro de Estudos e Pesquisas Jurídicas) atua em duas frentes de serviços: cursos de curta duração e pós-graduação lato sensu. Curso básico de Compliance e curso de Prática Penal são de curta duração. A pós-graduação lato sensu é em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho e em Direito Público.

Gostou de nossas dicas? Para que elas sejam realmente infalíveis, pratique todas!

Posts relacionados: